Eol Company junta os benefícios da Blockchain com o uso de energia mais limpas

0 23
Avatar for phabulu
2 years ago

A primeira empresa brasileira focada na integração de energia eólica com Blockchain.

O projeto Eol Company foi concebido com a intenção de aliar os benefícios do Blockchain com o uso de uma das fontes de energia mais limpas e sustentáveis ​​do mundo. Começando pelo Brasil, onde as condições são favoráveis ​​para esse tipo de geração, a capacidade instalada de projetos eólicos continua crescendo desde 2005.

Segundo dados da Associação Brasileira de Energia Eólica (ABEEólica), o país encerrou 2020 com 17,74 GW de potência operacional de aerogeradores, volume que já faz da energia eólica a segunda maior fonte da matriz elétrica brasileira.

O que é Energia Eólica

A Energia Eólica é a energia cinética derivada da força dos ventos, que pode ser utilizada para diversos fins, incluindo a produção de eletricidade a partir de turbinas eólicas. Os ventos são responsáveis ​​por movimentar as pás dos aerogeradores e gerar a força mecânica que será então convertida em energia elétrica por meio de um gerador.

Dessa forma, a quantidade de energia gerada dependerá da intensidade e constância dos ventos, do tamanho do aerogerador e da área abrangida pela rotação de suas hélices (pás). Os ventos são produzidos quando massas de ar próximas ao solo ou em regiões ensolaradas se aquecem e, devido à diferença de temperatura e pressão atmosférica, trocam de lugar com massas de ar frias próximas, causando deslocamento de ar.

É correto dizer que a Energia Eólica é originada da Energia Solar, pois é o calor do sol que aquece as massas de ar e desencadeia a geração dos ventos.

Geração de energia eólica

A captação e utilização da energia eólica para geração elétrica é feita através de aerogeradores (turbinas eólicas). Uma torre de energia eólica funciona transformando a energia cinética dos ventos em força mecânica e depois em energia elétrica. O funcionamento de um aerogerador (gerador eólico) começa com suas hélices (ou pás), que giram em contato com a força dos ventos, mas sempre de forma controlada.

O movimento das hélices gira o rotor e o eixo principal, que está conectado a uma caixa de engrenagens que aumenta a velocidade de rotação. Por fim, essa energia mecânica da rotação chega ao gerador, no qual dois ímãs criam o processo de indução eletromagnética para produzir eletricidade em corrente alternada.

Existem também geradores que produzem eletricidade em corrente contínua. Neste caso, o aerogerador deve conter um conversor (inversor) para adaptá-lo à corrente alternada, do tipo utilizado na rede elétrica e por dispositivos eletrônicos. Em grandes parques eólicos, a energia dos aerogeradores é enviada para subestações transformadoras que elevam sua tensão para que seja transportada até os centros urbanos por meio de linhas de transmissão de alta tensão.

Torre de energia eólica

Uma torre de energia eólica, também chamada de turbina eólica, turbina eólica ou gerador eólico, conta com tecnologias modernas para transformar ventos em eletricidade.

As turbinas eólicas usam um processo indireto para converter a energia eólica em eletricidade. Primeiro, ela é transformada em energia mecânica e depois em energia elétrica.

Existem diferentes tipos de geradores eólicos, mas todos eles usam a mesma estrutura e componentes básicos para funcionar.

Tipos de energia eólica

É comum diferenciar a energia eólica em dois tipos de acordo com o local de instalação das turbinas, costeira (onshore) ou marítima (offshore).

Em terra

As instalações de energia eólica onshore são feitas em terra e geralmente perto da costa, onde ocorrem mais ventos. Parques eólicos onshore também podem ser instalados mais para o interior, desde que a região ofereça boas condições para geração (ventos fortes constantes).

No entanto, devido ao ruído dos aerogeradores, as usinas precisam ser instaladas em locais distantes dos centros populacionais, como em áreas rurais despovoadas. Os parques eólicos onshore apresentam algumas vantagens em relação aos projetos offshore, como custos de instalação e operação mais baratos e maior proximidade dos centros de consumo, o que reduz custos e perdas de transmissão.

No mar

Os parques offshore representam instalações de torres de energia eólica offshore, que podem estar localizadas a quilômetros de distância da costa. As turbinas eólicas offshore podem ser fixadas diretamente no fundo do mar ou em um casco flutuante ancorado no fundo, que pode ser feito de metal ou concreto. A escolha é feita de acordo com a profundidade da água. Para locais com até 50 metros, as instalações de torres eólicas fixadas na parte inferior são mais viáveis ​​economicamente.

Por sua vez, turbinas em estruturas flutuantes podem ser instaladas mais distantes da costa, onde os ventos são mais fortes e constantes, o que aumenta a produtividade. As principais vantagens da energia eólica offshore sobre a energia eólica onshore são o maior tamanho e eficiência elétrica de seus projetos. Como não requerem o uso de terra, as turbinas eólicas offshore podem ser muito maiores e mais potentes do que suas versões costeiras.

Além disso, contam também com a maior força e constância dos ventos marítimos, que não encontram.

Potencial Eólico Brasileiro

O Brasil tem 600 parques eólicos e 7.500 aerogeradores, segundo a Associação Brasileira de Energia Eólica (ABEEólica). Só o Nordeste é responsável por cerca de 80% da energia eólica gerada em todo o país. O estado líder em produção é o Rio Grande do Norte.

Entre os cinco estados que lideram em energia eólica, quatro estão no Nordeste.

Melhores regiões para instalar parques eólicos

As melhores regiões do Brasil para instalação de parques eólicos estão no litoral. A fim de fornecer informações para estudos, conhecimento simples ou informações para tomadores de decisão na identificação de áreas adequadas para projetos eólicos, as melhores seções são mostradas abaixo. Abaixo estão apenas os trechos que apresentam média anual de velocidade do vento superior a 8,0 m/s, medida a 50 metros de altura.O Projeto: Eol Company foi criado com o objetivo de unir as soluções tecnológicas Blockchain com a produção de Energia Eólica. Saiba mais sobre o projeto abaixo.

​é um projeto que foi idealizado com o objetivo de unir as vantagens e recursos que o Blockchain nos proporciona hoje com a geração de Energia Eólica, desde que o projeto começou no Brasil, onde a segunda maior fonte de distribuição de energia é resultado da geração de energia a partir de o vento. A ideia é que o projeto se consolide no médio e longo prazo.

Vale lembrar que nosso projeto utilizará o modelo financeiro de uma ICO(), então um dos primeiros passos a ser seguido é a captação de recursos para financiar o projeto antes de começar a tirar o projeto do papel e iniciar a construção de nossa empresa.

Se você quiser fazer parte de nossa equipe, entre em contato: dev@eolcomp.com

Comunidade e parceiros

Conforme planejado pelo nosso Roadmap e seguindo a lógica de uma empresa, precisamos ter uma comunidade ativa e também precisamos de parceiros corporativos. Por isso, gostaríamos que todos vocês fizessem parte da nossa comunidade e nos ajudassem a encontrar novas parcerias com empresas que julgam necessárias para o desenvolvimento do projeto. Portanto, sinta-se à vontade para comentar e abrir discussões sobre isso. Também estaremos à procura de novas parcerias e oportunidades sempre que possível.

Isenção de responsabilidade

Ninguém na comunidade da Eol Company é responsável pelos investimentos de terceiros. Estamos inseridos no universo de descobertas de alta volatilidade e criptomoedas. É importante que você entenda os riscos associados aos seus investimentos e aja com a máxima responsabilidade. Para investidores conservadores ou iniciantes, recomendamos buscar mais informações em seu banco de confiança.

Cuidados e riscos ao investir

Não há multiplicação de dinheiro sem um alto risco equivalente.

Ao comprar nosso ativo, você estará fazendo um investimento em criptomoedas e participando de um experimento financeiro descentralizado da comunidade financeira.

As criptomoedas são conhecidas por oferecer grandes retornos financeiros sobre os investimentos, porém seus investidores estão expostos a maiores riscos em um ambiente pouco ou não regulamentado.

Não corra o risco de perder o que você vai precisar.

Renda Variável

“Ativos de renda variável são aqueles cuja remuneração ou retorno sobre o capital não podem ser mensurados no momento da aplicação, podendo variar positiva ou negativamente, conforme as expectativas do mercado. ), ações ou ações de capital, commodities, derivativos e imóveis." -

Faça sua própria pesquisa

A expressão anterior, amplamente utilizada no mundo das criptomoedas, deve orientar qualquer investidor. O mercado pode estar cheio de surpresas e os analistas não têm bola de cristal. Portanto, você deve tomar decisões com base no que você mesmo estudou e pesquisou. Não invista em algo que alguém recomendou cegamente para você!

Descentralização Financeira

Em um ambiente financeiro descentralizado, um dos maiores benefícios da descentralização pode se tornar seu maior inimigo: o ambiente não é regulamentado e os projetos são lançados “no estado”, ou seja, não há garantias além daquelas que a própria tecnologia pode dar tu. oferecer. Mais especificamente, não há nenhuma instituição reguladora à qual você possa recorrer em caso de hack ou fraude.

Então, você investidor, é responsável pelo seu próprio dinheiro, pelos seus lucros e prejuízos.

Recomendamos que participem do projeto apenas aqueles que se sentem seguros para operar em um ambiente de alto risco. Investidores iniciantes, pedimos que estudem um pouco sobre esse tipo de investimento para não tomar decisões precipitadas. É recomendável que você invista apenas valores que não se importa em colocar em risco no caso de um cenário negativo.

Vale lembrar que a regulamentação das criptomoedas no Brasil ainda está em desenvolvimento, mas já fala sobre a declaração e tributação dos lucros obtidos.

Contratos inteligentes

O contrato inteligente é uma peça fundamental no universo descentralizado.

Um contrato inteligente é um código imutável escrito em uma linguagem de programação específica para ser executado repetidamente em uma rede distribuída.

Por se tratar de um programa executável, é possível realizar entradas e saídas pré-estabelecidas que podem ser executadas a qualquer momento na rede em que está configurado, sem correr o risco de interpretações equivocadas e arbitrariedades por parte das entidades centrais. Ou seja, um contrato inteligente é basicamente um conjunto de instruções a serem executadas por máquinas.

Depois de criar um contrato inteligente na rede, você pode interagir com ele. Essa possibilidade abre uma oportunidade para a criação de diversas aplicações como tokens, empréstimos e farms. Cabe à rede do servidor executar as funções do contrato inteligente, e para arcar com esse custo, é cobrada uma taxa que chamamos de “gás”. Essa taxa é paga diretamente aos validadores/mineradores da rede, como recompensa pelo esforço computacional necessário para executar um trecho de código.

O processo de compra e venda da , por exemplo, utiliza um contrato inteligente feito pela própria plataforma que permite a conversão entre moedas. A transferência de tokens de uma carteira para outra usa uma função de contrato para uma determinada moeda. A criação de um token passa por um lançamento de contrato e interação do desenvolvedor com esse contrato para adicionar liquidez e torná-lo acessível aos investidores.

Várias redes suportam contratos inteligentes, mas nem todas usam a mesma linguagem de programação para criar os contratos. No caso da rede Ethereum, Binance Smart Chain e Polygon, todos são baseados em EVM (Ethereum Virtual Machine) e a linguagem de programação utilizada é Solidity.

Finanças Descentralizadas

Com o objetivo de investir ou reservar valores que vão além dos sistemas tradicionais de bancos, surge o Descentralized Finance.

Baseada em redes blockchain, a tecnologia DeFi nada mais é do que um protocolo que visa remover intermediários de transações financeiras, como bancos e até as próprias exchanges de criptomoedas.

A ideia é ter um ecossistema de serviços financeiros de código aberto. Ou seja, por não estar vinculado a nenhuma empresa ou região específica, o DeFi não precisa de permissões, pois está disponível para todos e funciona sem nenhuma autoridade central. Aqui, os usuários mantêm controle total sobre seus ativos e interagem por meio de operações pessoais.

Diariamente, novos protocolos DeFi são criados, com diferentes funções e objetivos. No entanto, em linhas gerais, você pode realizar diversos serviços financeiros, como contratação de empréstimos, seguros e investimentos.

Transações dentro do ecossistema de Finanças Descentralizadas

Atualmente, um dos meios mais comuns de fazer transações DeFi é através do ecossistema Ethereum, que permite o uso de contratos inteligentes que são, na verdade, códigos de computador escritos para funcionar de forma auto-executável para que as operações não precisem de intermediários.

Vale ressaltar também que o Ethereum é a segunda criptomoeda mais usada no mundo. A razão para isso é que ele já foi criado para oferecer opções que o bitcoin ainda está implementando. Por exemplo, o registro facilitado de informações e transações.

No caso do nosso projeto, utilizaremos a rede BSC (Binance Smart Chain).

Benefícios

Sem intermediários ou intermediários, os custos associados ao fornecimento e uso de produtos e serviços financeiros são significativamente reduzidos. Assim, ao contratar um empréstimo pelo DeFi, por exemplo, a operação costuma ser mais barata para o tomador e, ao mesmo tempo, mais lucrativa para o tomador. A transparência é outro ponto positivo desse segmento de criptomoedas. O ecossistema só pode existir se as informações forem compartilhadas com todos os usuários.

Como sistema aberto, a facilidade de acesso para pessoas que de outra forma não poderiam usufruir de nenhum serviço financeiro também está entre suas vantagens. No sistema financeiro tradicional, que depende do lucro dos intermediários, os serviços geralmente não estão presentes nas comunidades de baixa renda. No entanto, como os custos são muito menores com a tecnologia DeFi, todos podem se beneficiar.

Segurança

Apesar das vantagens mencionadas, também é importante considerar o outro lado da moeda: a segurança. A boa notícia é que, de acordo com especialistas em segurança cibernética, a tecnologia blockchain é segura, tornando as finanças descentralizadas (DeFi) seguras também.

No entanto, isso não significa que os golpes não sejam aplicados, principalmente quando se trata de usuários iniciantes, que ainda não estão familiarizados com esse mercado, pois é muito novo. Portanto, quem deseja realizar transações via DeFi deve se informar e estudar criteriosamente seu funcionamento.

Além disso, a atual falta de regulamentação também pesa na decisão de realizar transações por meio da tecnologia DeFi. De fato, o que se observa é que órgãos de controle e governos ainda precisam aprender a lidar com essa novidade do mercado financeiro.

Vale destacar também que, apesar da segurança da tecnologia, existe o risco de erro por parte dos usuários. Como não há intermediários, os aplicativos DeFi transferem a responsabilidade para quem os utiliza diretamente. Assim, se ocorrer algum erro humano ou técnico, não existe um serviço de apoio ao qual possa recorrer em caso de problemas.

2
$ 1.92
$ 1.82 from @TheRandomRewarder
$ 0.10 from @EvanOliveira
Sponsors of phabulu
empty
empty
empty
Avatar for phabulu
2 years ago

Comments